Blog da COM

gsp1

Por: Rodrigo Stabolito

O Google Adwords liberou, em definitivo, uma nova modalidade de anúncios no começo deste mês – o GSP (Gmail Sponsored Promotions). No bom e velho português, nada mais é do que a entrega de publicidade nas caixas de entrada de contas Gmail. O recurso em si não é novo (já estava em fase beta desde o ano passado), porém agora qualquer anunciante / agência está apto(a) a configurar campanhas explorando a funcionalidade.

Resumindo: a cobrança é feita por CPC e a segmentação enquadrada com o sistema da Rede de Display do Google: poderemos configurar por palavra-chave, interesses, informações demográficas ou remarketing. Logo, ao menos na maioria dos casos, não é muito responsável configurar uma campanha deste tipo esperando uma alta taxa de conversão. Por outro lado, creio que, quando criada com muito critério, poderá trazer um retorno real mesmo com a ação de geração de leads ou vendas elevada ao status de KPI. 

É bom também enfatizar que essa modalidade de anúncio tem suas vantagens em relação ao tradicional uso de e-mail marketing – as chamadas serão sempre apresentadas em destaque na caixa de entrada e apenas quando houver clique um custo será debitado na campanha. Como desvantagens, aponto para o fato de não ser possível trabalhar com uma lista personalizada de endereços, além da limitação de impacto aos usuários que usam gmail (mesmo que este detenha grande parcela do “mercado de contas de e-mails”). 

Como em qualquer outro tipo de publicidade, bom senso e tática inteligente são cruciais para uma boa performance. Portanto, coloco minha aposta na mesa: o GSP chega para agregar (e muito) a forma de se fazer remarketing. Afinal a relevância nesse caso é garantida, e poderá ser mais potencializa se o resgate for justamente daquele usuário que encontra-se no gargalo do funil de conversão, possivelmente impactado por um anúncio de Search em momento imediatamente anterior a esta entrega. 

Por: Bruno Dantas

O desejo de muitos foi ouvido pelo Mark Zuckerberg e, enfim, teremos o tão desejado botão “Não Curtir”. Por sinal, já faz algum tempo que os usuários do Facebook mostram o quanto seria legal a presença deste recurso ao lado do atual “Curtir”, ou Joinha, como preferir. A boa notícia? Estamos perto de ter um novo capítulo nessa história. Sim, o Facebook vai ganhar um novo botão!

facebook-dislike-button

Segundo publicação no site techmundo, “Durante uma entrevista para o CNBC, Mark Zuckerberg (fundador e CEO do Facebook) revelou que a equipe de desenvolvimento está bem próxima de colocar o novo recurso para ser testado publicamente. Ou seja: é bem provável que testes internos já estejam sendo realizados pelos desenvolvedores e outros membros da equipe da rede social.”

O principal pensamento é: nós vamos curtir isso? Trocadilhos a parte, a maior preocupação dos desenvolvedores do Facebook hoje em dia é saber como tornar últil para os usuários esta funcionalidade e que o botão expresse algo positivo, não sendo somente um atalho para negativar os contatos – pense quantas pessoas vão excluir outras só porque o amiguinho não curtiu o que ela falou, né?

No que interessa a nós, profissionais fortes e resistentes de mídias sociais, existem os famosos haters/trolls, que podem impactar os resultados. Sendo assim, como será este impacto para a mensuração das Fan Pages? Imagine quantas pessoas vão dar Dislikes só para poder prejudicar uma página?

Entretanto, este botão será bem interessante para medir alguns casos, como campanhas políticas e páginas de órgãos e personalidades públicas, por exemplo, mas sempre levando em conta os citados haters, fakes, trolls e afins.

E você? O que acha do lançamento deste recurso? Vai ajudar a nossa vida? É algo pelo qual você sempre ansiou? Conte-nos!

Mais novidades vão chegando na Facebook Land e melhorando cada vez mais a rede social. Recentemente, a ferramenta do Tio Mark começou a permitir a utilização de GIF’s na rede social, maaaaaas… é claro que a novidade não iria ficar por aí, não é mesmo? É claro que não! O Facebook começou a testar este recurso no formato de anúncios e em breve, amigo que trabalha com está bela linda ferramenta, você poderá utilizar estes GIF’s para fazer anúncios também. Olha que demais!!

britney-spears-las-vegas

Imagina a quantidade de anúncios criativos que poderão ser feitos com GIF’s/ Imagina que você tem um cliente do ramo de carros, por exemplo? Você pode fazer um GIF mostrando os ambiente de um modelo que seu cliente vende. Massa, não é mesmo? E se o seu cliente for uma pizzaria? Que tal fazer um GIF com uma pizza sendo devorada de fatia por fatia e deixar os usuários com água na boca? As possibilidade são muitas e cabe a você, caro amigo profissional, pensar em como utilizá-la.

Falando um pouco mais sobre a novidade, as primeiras empresas a testar esta novidade foram a americana Wendy’s e a brasileira Kuat – sim, uma brasileira!! E vale dizer que o Facebook está testando o recurso e como os usuários irão aceita-lo, afinal, tem que saber se o cliente gosta, não é mesmo? Sendo assim, vamos observar a evolução do recurso e quando houverem maiores novidades nós as traremos para você aqui.

Gostaram da novidade? Acham que poderá alavancar os anúncios e torná-los mais atrativos? Deixe sua opinião em nossa página no Facebook e fique ligado em nossas novidades

 

Novidades quentes e agradáveis no mundo do monitoramento. O Scup lançou um novo recurso em sua ferramenta que permite efetuar uma busca retroativa do Twitter de até 30 dias.

Vamos comemorar!!!!

batman

É isso mesmo, amigos. Já é sabido que o Scup é parceiro oficial do Twitter, sendo assim, a plataforma utiliza o GNIP como tecnologia de buscas (provedora de dados que fornece informações em tempo real sobre atividades em redes sociais). A utilização deste mecanismo faz com que o Scup possa fazer uso de operadores avançados e tenha maior rapidez na coleta de menções e a busca retroativa.

Sim! Aquelas menções que você queria captar de um mês atrás – a partir da configuração da busca – poderão ser registradas a partir de agora. Você poderá fazer um diagnóstico ainda melhor do seu cliente e traçar estratégias de forma mais segura ainda. Não é genial?

Sendo assim, amigos analistas, a partir de agora teremos nossa vida facilitada e poderemos captar menções realizadas até 30 dias antes da configuração da campanha na ferramenta.

Quer saber um pouco mais sobre esta novidade e os benefícios que ela trará? Visite o Blog do Scup (Clicando Aqui) e depois nos conte o que achou.

Lady Gaga, Justin Bieber, Obama? Não. A primeira pessoa a conseguir 10 Bilhões de views no Youtube não é uma celebridade da música ou do esporte. Ele é um Youtuber!

O sueco Felix Kjellberg, mais conhecido pelo seu apelido PewDiePie (pronuncia-se: piu-ri-pai), é um Youtuber que comenta games em seu canal e ficou conhecido por destacar jogos de ação e terror. O seu canal é um dos que mais crescem e isso pôde ser visto na marca atingida por ele recentemente.

pewdiepie-youtube-subscribers-break

A marca atingida por PewDiePie é de extrema importância para o mundo digital, pois mostra o quanto o ambiente virtual é grande e o quanto o público é fiel a este conteúdo. A marca de 40 milhões de inscritos, faz com que PewDiePie tenha o canal com maior quantidade de inscritos no Youtube e é a terceira figura mais influente entre os americanos com idades entre 13-18 anos.

Visto o potencial que este tipo de conteúdo pode ter, o que você tem pensado a respeito para sua empresa?

Quer saber mais sobre a marca de PewDiePie? Confira esta notícia do dailydot.com.

Uma das grandes novidades desta semana foi a reformulação do logotipo do Google. Todos fomos surpreendidos com as mudanças feitas na marca da gigante, entretanto, esta modificação não se trata apenas de uma atualização visual. Ela faz parte de uma série de mudanças que vêm acontecendo após o surgimento da Alphabet – nova companhia do Google com segmentos variados.

A Alphabet  veio para substituir o Google como uma empresa de capital aberto e todas as ações do buscador serão automaticamente convertidas em ações de Alphabet..

O novo logotipo é mais leve, mais familiar, mais rápido e está mais aproximado do novo momento do Google. Neste artigo publicado pelo site Design Culture você pode encontrar mais detalhes sobre a mudança da marca, inclusive com comentários sobre a identidade visual e informações sobre o desenvolvimento desta ao longo dos anos.

google

Gostou da mudança? Achou que ficou melhor que a anterior? Tem algum comentário que você deseja acrescentar? Acesse nossa página do Facebook e vamos debater sobre o assunto

Fonte: Design Culture

Primeiro: você sabe o que é responsividade? Sabe o que é ter um site com design responsivo?

Se não faz ideia, iremos explicar.

Responsividade é a capacidade de fazer com que seu site responda ou seja adaptável a plataformas de diferentes telas. Isso se aplica não só a computadores desktops ou notebooks, mas também a telas de tablets e smartphones. Logo, ter um site com design responsivo, hoje, é determinante para a estrutura online de uma empresa, visto que a mudança de hábitos de consumo fez com que a maioria dos indivíduos prefira aparelhos compactos e que desempenham diversas funções simultaneamente.

Listamos dois motivos que irão te convencer:

1 – Mudança do algoritmo do Google

Passando a valer no ano de 2015, a mudança do algoritmo do Google tem como principal função fazer com que os sites que são pesquisados via desktop tenha a mesma adaptação mobile sem diminuir ou diferenciar a qualidade do que é visto.

Os sites que não são responsivos automaticamente não aparecerão nos resultados das buscas e darão espaço aos que se atentaram a esta especificação. Abaixo, a justificativa do Google para a mudança dessas diretrizes:

“O Google está mudando seus algoritmos para fazer com que mais empresas criem sites mobile-friendly por uma única grande razão. Mais pessoas estão usando o sistema de busca do Google em aparelhos mobile, e esses usuários esperam que a experiência seja tão boa quanto estão acostumados a ter no desktop. Se o sistema de busca leva a sites que não funcionam bem em mobile, isso significa que Google não é tão bom no mobile, tornando a empresa vulnerável em tempos onde não se pode ser.” (Fonte: Locaweb)

2 – Acessibilidade à informação por dispositivos móveis

A evolução do pensamento por meio da ciência ampliou a capacidade de armazenar informação e ampliou o desenvolvimento da tecnologia para que plataformas totalmente virtuais fossem transformadas em grandes centros de armazenamento de arquivos feitos, até então, manualmente.

Consequentemente o poder a acessibilidade de dispositivos totalmente diferentes dos convencionais computadores desktop, como os notebooks, tablets, celulares smartphones fizeram e fazem até hoje com que os usuários possam acessar essas informações, modificar e acrescentar dados de qualquer lugar, enquanto tenha acesso à internet.

Esse acesso de informação, também inclui o acesso à internet associado ao poder de compra através dela. A facilidade de ter o produto no alcance de um clique parece tentador, logo, para isso é preciso que o site esteja adaptado para fornecer a melhor visibilidade e conversão. Caso contrário o usuário não irá permanecer muito tempo na sua página.

Para finalizar, teste se o seu site, blog ou portal é responsivo neste link: https://www.google.com/webmasters/tools/mobile-friendly/?hl=pt-BR

Se precisar de ajuda, conte conosco e solicite o seu orçamento: http://www.cominteligencia.com/#contato

Por: Adiene Oliveira e Rodrigo Stabolito

Fotos de paisagens são constantes nas mídias sociais. Um exemplo disso são fotos que incluem o nascer e pôr do sol.

Com a ideia de não limitar essas imagens, que acabam sendo um tanto como inspiradoras, Michelle Chandra criou um projeto chamado “All Our Suns” onde a uma plataforma reúne todas as fotos postadas no Instagram com as hashtags “#sunrise” e “#sunset” incluindo a utilização de um algorítimo de dados que se incorpora essas imagens a três mapas atualizados em tempo real.

adnews-1377288271432563747c9f078596bb185ba5ea0923c0330a58e51e9f2dd

Servindo também como um ótimo exemplo de monitoramento com imagens, esta ferramenta permite que você – mesmo dentro de um escritório – consiga ver o céu de vários lugares ao redor do mundo sem sair de onde está.

Gostou e quer testar? Saiba mais: http://michellechandra.github.io/synchronicity.html

Virais. Há quem abomine esse termo e há quem faça valer a pena o nome dado para vídeos que fazem sucesso em um curto período de tempo e por consequência disso, caem  no gosto do povo, gerando comentários.

O Google teve a sacada de divulgar as funcionalidades da marca no âmbito mobile usando esses famosos takes, usando como exemplo o viral do menininho e sua famosa expressão de surpresa:

O objetivo do Google é mostrar que ele pode ser útil em (quase) tudo e que podemos explorar as diversas funcionalidades que a sua própria plataforma oferece, para facilitar a nossa vida, mas que ainda assim desconhecemos.

Confira neste canal todos os vídeos produzidos para esta divertida campanha: http://bit.ly/1BlNoDM