Tag: YouTube

Em 2006, a revista Times colocou em sua capa a personalidade do ano com título Você!. A publicação fazia referência ao YouTube, lançado em 2005, que começava a revolucionar os fluxos de produção e compartilhamento de conteúdo em vídeo na internet. Estamos em 2017 (quase 2018) e, de lá para cá, os smartphones e tablets ganharam seu lugar ao sol, as mídias sociais se multiplicaram e ganharam escala global e o vídeo, este formato tão amado desde a invenção do cinema, impera no conteúdo digital.

Neste processo de mudanças de modelos e paradigmas, um ponto chama a atenção: o vetor de produção do conteúdo. Se antes o conteúdo em vídeo era vertical, de poucos para muitos (com produtoras, emissoras de televisão, indústria cinematográfica etc.), hoje essa produção é horizontal, de todos para todos, uma vez que, com um smartphone na mão, é possível filmar, editar e compartilhar com qualidade e de forma segmentada.

Neste movimento de produção individual de vídeo online em alta, empresas como o YouTube continuam na liderança, investindo em espaços (YouTube Spaces) para criadores de conteúdo (os chamados “Creators”) e em formas de monetização. Seguindo este exemplo, o Facebook, que não é bobo nem nada, também já mostrou que em 2018 sua atenção será em expandir as experiências audiovisuais de seus usuários, através de Lives, criando uma nova aba só para vídeos, espaços para produtores (Facebook Studios) e, também, pensando em formas para remunerar seus Creators.

Para além das grandes mídias sociais, há canais se especializando em gerar conteúdos de vídeo para grandes plataformas OTT/ SVOD como Netflix, Hulu, Amazon, YouTube Red, além de TVs abertas e fechadas. Este é o caso da Awesomeness TV que se posiciona como uma rede de criadores (Creator Network) voltada para produções independentes e influenciadores – ajudando a ampliar suas audiências e construir suas marcas pessoais. A criação e distribuição dos chamados IPs (intellectual property) estão mudando a dinâmica do mercado, com produções diversificadas em formatos (documentários, talkshows, séries, filmes, curtas, notícias etc.) e temas, em alguns casos com baixo custo (principalmente para as plataformas de distribuição), com a presença de influenciadores que mobilizam uma legião de fãs em diferentes mídias sociais.

No Vidcon 2017, maior evento sobre vídeo online e creators do mundo, alguns pontos foram destacados por Adriana Boghosian (Mutato), conforme matéria publicada na Adnews:

  1. Diferenças entre influenciadores no Brasil e nos EUA – enquanto os gringos estão mais preparados para a lógica de mercado dentro das empresas e agências, os brasileiros apresentam inovação nos formatos e variedade nos canais.
  2. Relação entre marcas e Creators – como trabalhar juntos – se discutiu modelos de produção (creators para marcas x marcas com creators) e a importância do papel do influenciador para a construção de uma linguagem/identidade no conteúdo.
  3. Importância das métricas para mensurar o sucesso e ajustar conteúdos (em tempo real, em alguns casos).

Se você trabalha com comunicação, é um creator ou mesmo um entusiasta no assunto, vamos deixar aqui duas dicas valiosas:

  • Youpix Study Tour – material criado pela Youpix, repleto de insights provienientes das principais empresas de tecnologia e entretenimento dos Estados Unidos.
  • Digital Creators – Workshop  de Marketing de Conteúdo em Vídeo, com foco no Facebook, Instagram e Youtube. O curso tem vagas limitadas e ocorrerá agora em novembro, em Salvador, nos dias 18/11, 25/11 e 2/12. [clique aqui]

No último sábado (28/10), Aline Bispo (Grupo Engenho) compartilhou seu conhecimento e simpatia no Performando. Desta vez, o crush foi o Google Adwords! <3

Como em todo início de relacionamento, devemos conhecer o máximo possível sobre o alvo das nossas atenções (para não dar bola fora!). E é por aí que o curso começa, mostrando que um briefing bem executado é a chave para compreender as  principais necessidades do cliente e, a partir daí, definir objetivos e metas mais precisas.

Para gerar mais intimidade com o Google Adwords, Aline fez um tour completo pela plataforma. Aprendemos sobre: os benefícios e as diferenças entre o Google Adwords e o Google Express; os formatos de anúncio, como Rede de Pesquisa (Texto, Shopping e Gráficos), Rede de Display (Textos, Gráficos e Rich Media), Gmail, Vídeo (TrueView In-StreamTrueView video discovery e Bumper), Anúncios em App, entre outros; as segmentações disponíveis na plataforma, como palavras-chave, tópicos, canais, remarketing, públicos-alvo de afinidade, públicos-alvo do mercado; a estrutura das campanhas (conta, campanha, grupos de anúncios e anúncios); e, por fim, as métricas e indicadores-chave de desempenho.

Pronto! Agora já íntimos, todos partiram para a ação. 😉

Pela tarde, a turma aprendeu a criar e otimizar campanhas dentro da Rede de Pesquisa, Rede Display, Gmail e YouTube. O exercício foi fundamental para colocar em prática todo o conhecimento compartilhado, além de tirar dúvidas sobre possibilidades, limitações e macetes do Google Adwords. E foi nesse clima descontraído que terminamos o segundo dia do Performando. Turma reunida para fazer a boa e velha selfie e a sensação de dever cumprido. Em 2018, teremos a segunda edição do curso e mais novidades. Fiquem ligados!

PS.: um grande mistério do curso foi aquela pessoa lá no fundo com a mão levantada. Alguns acreditam que seja apenas um filtro do Instagram. Outros, mais supersticiosos, disseram que pode ser uma entidade protetora dos mídia online da Bahia. Bom, quem tiver ideia do que seja isso, por favor, deixe aqui seu comentário 😉

Google Adwords Performando

Lady Gaga, Justin Bieber, Obama? Não. A primeira pessoa a conseguir 10 Bilhões de views no Youtube não é uma celebridade da música ou do esporte. Ele é um Youtuber!

O sueco Felix Kjellberg, mais conhecido pelo seu apelido PewDiePie (pronuncia-se: piu-ri-pai), é um Youtuber que comenta games em seu canal e ficou conhecido por destacar jogos de ação e terror. O seu canal é um dos que mais crescem e isso pôde ser visto na marca atingida por ele recentemente.

pewdiepie-youtube-subscribers-break

A marca atingida por PewDiePie é de extrema importância para o mundo digital, pois mostra o quanto o ambiente virtual é grande e o quanto o público é fiel a este conteúdo. A marca de 40 milhões de inscritos, faz com que PewDiePie tenha o canal com maior quantidade de inscritos no Youtube e é a terceira figura mais influente entre os americanos com idades entre 13-18 anos.

Visto o potencial que este tipo de conteúdo pode ter, o que você tem pensado a respeito para sua empresa?

Quer saber mais sobre a marca de PewDiePie? Confira esta notícia do dailydot.com.